Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rui Pires da Silva

O segredo está na paixão com que fazemos as coisas.

Rui Pires da Silva

O segredo está na paixão com que fazemos as coisas.

17
Abr19

Tenha atenção. Pode estar a pagar IMI a mais pela sua casa


Rui Pires da Silva

O alerta é deixado pela Deco, que está a ajudar os consumidores a calcular e a pagar o imposto justo pelas suas casas através do seu simulador.

Texto e imagem: Rodolfo Alexandre Reis Jornal Economico 

imobiliario_casas.jpg

Apesar do valor da construção das casas ter aumentado a 1 de janeiro, isso não significa que os proprietários tenham de pagar mais Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). O aviso é deixado pela Deco que atualizou o seu simulador para ajudar os consumidores a calcular e a pagar o imposto justo pela sua casa.

O Estado subiu o valor de construção dos imóveis, de 603 para 615 euros por metro quadrado, mas apesar disso alguns imóveis continuam a pagar imposto a mais, porque as Finanças não atualizam automaticamente a idade das casas, nem o seu coeficiente de localização, que muda a cada três anos.

 

“Todos estes fatores influenciam o cálculo do IMI, mas o Estado limita-se a aumentar o valor das casas de acordo com a inflação”, informa a DECO.

A Deco explica também que a “revisão de todas as parcelas só é feita quando a casa muda de dono (por aquisição ou herança) ou quando o proprietário entrega nas Finanças um pedido de atualização do valor da casa”.

Para Ernesto Pinto, especialista em fiscalidade da Deco “há, portanto, proprietários de imóveis que continuam a pagar IMI a mais e só uma simulação personalizada, pode confirmar se vale a pena pedir às Finanças a atualização dos dados do imóvel para efeitos de cálculo do imposto”, salientando que ““nas simulações realizadas pelos consumidores desde o inicio do ano, após a atualização do valor de construção, registámos uma poupança média de 75 euros por ano”.

Caso a sua simulação confirme que há poupança, terá que pedir nas Finanças a atualização dos dados do imóvel para efeitos de IMI. Para isso, basta preencher o modelo 1 do IMI e submetê-lo no Portal das Finanças ou apresentar o pedido pessoalmente no serviço de Finanças. A DECO “recomenda que opte pela apresentação pessoal do pedido, já que alguns dados requeridos não são do conhecimento do proprietário e será mais fácil obtê-los na própria repartição”.

Este pedido é gratuito e deve ser apresentado antes de 31 de dezembro, para reduzir o imposto a pagar no ano seguinte.

A DECO avisa que “enquanto alguns contribuintes podem poupar já no IMI do próximo ano, outros poderão ter de esperar um pouco mais, caso a última revisão dos dados do imóvel tenha sido feita pelas Finanças há menos de três anos”.

Isto porque “o simulador desta organização de consumidores dá a resposta personalizada e disponibiliza um sistema de alerta, que avisa o contribuinte de que já está na altura de repetir a simulação e, porventura, começar a poupar no IMI”.

Ernesto Pinto, relembra que “a conta do IMI é paga numa única prestação se o valor for inferior a 100 euros. Pode pagar em duas prestações, em maio e novembro, se o valor for entre os 100 e os 500 euros e pode pagar em três prestações, maio, agosto e novembro, se o valor ultrapassar os 500 euros”.

 
Todos os direitos de texto e imagens Jornal Económico 
Rui Pires da Silva, nasceu ao décimo mês do ano de 1984 em Aveiro, mas registado como natural de Paçô de Cedrim, Sever do Vouga. Reside em Ovar desde 2017, ano em que casou com uma bela Vareira. É, entre outras coisas, consultor imobiliário na empresa Abel Andrade, Mediação Imobiliária em Ovar.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Mensagens

Pesquisar